• Horário de Atendimento - Segunda a Sexta - 8h - 18h
81 2122.2399 [email protected]

Dúvidas Frequentes

É possível vender a energia que o sistema solar gerar em excesso?

Atualmente, a legislação em vigência não permite a negociação dos créditos produzidos por uma unidade consumidora. Contudo, as leis em vigor permitem o uso do excesso de energia gerada em outra unidade consumidora que for de mesma titularidade, fazendo com que toda energia produzida possa ser aproveitada pelo consumidor.

Se faltar energia na concessionária, tendo energia fotovoltaica, ficarei sem energia?

No caso dos sistemas conectados à rede da concessionária, intitulados on grid, o abastecimento de energia seria interrompido. O sistema on grid depende do fornecimento da concessionária para que o inversor funcione. Quando a energia cai o inversor para de funcionar, isolando o sistema. Por outro lado, a utilização da rede da concessionária torna o sistema mais barato que um sistema que não utiliza a rede existente, por não usar baterias. No caso de sistemas conectados à bancos de baterias, intitulados off grid, o abastecimento de energia ocorreria normalmente pois independe da concessionária. Apesar desta vantagem, esses sistemas são mais caros em função da aquisição e manutenção das baterias.

Como funciona o sistema de noite? E em dias de chuva?

Durante à noite o sistema não produz energia. Contudo, o consumidor poderá utilizar os créditos produzidos durante o dia, funcionando assim como um sistema de compensação, no qual o que se produz durante o dia e não é usado, se transforma em crédito que é injetado na rede da concessionária e poderá ser consumido durante o período em que o sistema não produz. Em dias de chuva o sistema tende a ter uma queda em sua geração, pois boa parte do tempo o sol fica encoberto. Quando bem executado, o projeto do sistema considera esses períodos de queda para fazer um cálculo constante e que atenda a demanda do consumidor mesmo nos períodos chuvosos.

A minha conta irá zerar?

As concessionárias de energia cobram uma tarifa mínima de conexão na rede, bandeira tarifária e uma taxa de iluminação pública, sendo assim, a conta não chega a ficar zerada, mas é possível pagar o valor mínimo por tipo de ligação (monofásica, bifásica ou trifásica) com valores inferiores à R$100,00. Para conseguir pagar os valores mínimos, o sistema deve estar dimensionado para atender toda a conta do consumidor.

Não irei precisar mais da concessionária de energia?

No caso dos sistemas conectados à rede, on grid, o consumidor continua vinculado à concessionária de energia, contudo, em casos de atendimento de toda a conta, o consumidor deixa de depender das variações de tarifa da conta de energia.

Quais preocupações devo ter com relação a instalação de um sistema fotovoltaico?

É importante avaliar o escopo fornecido pela empresa integradora, se prevê todas as necessidades para entregar um sistema já em operação. Com relação à segurança deverá ser verificado se a empresa possui experiência e se possível o consumidor deve sempre pedir para saber quais e quantas instalações o integrador já realizou. Ainda no critério de segurança, o consumidor deve se preocupar se os equipamentos utilizados são de primeira linha, se a empresa está certificada, se sua equipe é treinada na NR35 – Trabalho em altura e NR10 – Trabalho com eletricidade, se todos os funcionários estão utilizando EPI – Equipamento de proteção individual e se a integradora oferece seguro durante a instalação. Atentando a estes pontos o consumidor evita problemas e sérias dores de cabeça.

O sistema possui baterias?

Os sistemas off grid, contam com um banco de baterias que servem para armazenar a energia produzida. Apesar desta vantagem, esses sistemas tendem a ser mais caros. Já os sistemas on grid, são conectados diretamente à rede da concessionária, não possuem baterias e são mais baratos.

Qual a vida útil do sistema?

O sistema tem a vida útil de no mínimo 25 anos com 80% de eficiência. Após esse período, o sistema passa a perder eficiência na geração, porém não existe um prazo certo para a extinção do sistema, podendo durar um período maior.

Como é feita a compensação de energia?

O sistema solar fotovoltaico, quando conectado à rede da distribuidora, promove a compensação de energia por meio de créditos. A energia gerada pelo sistema poderá ser diretamente utilizada pela unidade consumidora. Entretanto, como o sistema trabalha produzindo energia nos horários de sol, e habitualmente se gasta pouco energia nesses horários, existe em muitos casos, uma “sobra” de energia. Toda a produção excedente (acima da demanda) será injetada na rede da concessionária e contabilizada como crédito. Durante o horário que não tem mais sol, o sistema fotovoltaico para de produzir energia e o consumidor passa utilizar os créditos gerados pela sua produção, compensado a falta de produção de energia no período noturno e ficando em equilíbrio.

A manutenção do sistema solar é muito cara?

O sistema solar precisa de manutenção mínima e com baixa periodicidade, se limitando quase sempre a limpeza dos módulos quando existe muita sujeira e grandes períodos sem chuva. No geral, não apresentam falhas no funcionamento. Em função do tempo de duração do sistema pode se dizer que o custo com manutenção é muito baixo.

Como monitoro a produção de energia do meu sistema solar?

O sistema é monitorado por meio de um software que coleta os dados utilizando um aparelho conectado com o inversor do sistema, e utiliza a internet do consumidor para transmitir as informações. É possível acompanhar os dados da geração utilizando smartphones, tablets e computadores.

Em quanto tempo terei o retorno do meu investimento?

O tempo de retorno varia em função da solução adotada, mas em geral fica em torno de 3 a 8 anos